Como Funciona o Bafômetro? Descubra Tudo Agora


Desde 2008, a chamada Lei Seca, operação de tolerância zero para motoristas alcoolizados, utiliza um aparelho específico para medir a concentração de álcool etílico no organismo.

Embora a maioria das pessoas conheça a finalidade do bafômetro, ainda hoje existem dúvidas sobre seu funcionamento, e conhecer esse aparelho, utilizado, de maneira geral, em todas as operações de fiscalização do consumo de álcool, pode ser mais importante do que você imagina.

Quer entender melhor como funciona o bafômetro? Continue a leitura!

O que é o Bafômetro?

O bafômetro, ou etilômetro, é um aparelho utilizado no teste de alcoolemia, ou seja, que mede a concentração de álcool no ar alveolar do condutor.

Em outras palavras, ele permite determinar a concentração de bebida alcoólica analisando o ar exalado dos pulmões de uma pessoa.

O aparelho é utilizado na fiscalização da Lei Seca para constatar se os motoristas abordados estão ou não dirigindo sob a influência de álcool.

Isso porque de acordo com a lei atual, qualquer quantidade de álcool flagrada pelo teste do etilômetro no organismo do condutor o sujeita às penalidades previstas no Código de Trânsito (CTB).

Segundo o CTB, quem dirigir sob o efeito de álcool ou outras substâncias psicoativas está cometendo infração gravíssima, passível de multa e suspensão da CNH.

Como funciona o Bafômetro?

O bafômetro, além de indicar a presença ou ausência de álcool, também informa a quantidade de álcool em miligramas por litro de ar alveolar.

O teste do bafômetro funciona da seguinte maneira:

  • O aparelho etilômetro contém um bocal descartável, o qual é trocado a cada medição realizada.
  • No bocal, o indivíduo deve soprar o ar para dentro do aparelho por alguns poucos segundos.
  • O ar expelido percorrerá o tubo de plástico até chegar a um componente chamado de célula de combustível, o qual é revestido com eletrodos de platina.
  • Se houver partículas de álcool no ar expelido, ao entrarem em contato com a platina, será gerada uma reação química de oxidação, formando prótons (partículas positivas) e elétrons (partículas negativas) de ácido acético.
  • Os elétrons passam pelo ácido eletrolítico, presente na célula de combustível.
  • Essa passagem é registrada por um medidor de corrente elétrica, ligado à célula de combustível.
  • A contagem de elétrons que passaram pela célula (medida registrada) indica o nível de alcoolemia do indivíduo.
  • Quanto maior a corrente, mais alto o nível de embriaguez do motorista.
  • Por fim, um microprocessador “traduz” o valor de concentração alcoólica que equivale à corrente medida. E, então, o resultado é apresentado na tela do aparelho.

Se o teste do bafômetro indicar quantidade entre 0,04 mg/L e 0,34 mg/L de álcool, o motorista toma multa gravíssima, ou seja, leva 7 pontos na carteira e deve pagar o valor de R$ 2.934,70. Além disso, há suspensão da carteira de habilitação por 12 meses.

Agora, em casos onde o aparelho indique quantidade maior ou igual a 0,34 mg/L, há a mesma penalidade acima, porém com um agravante. O ato é considerado crime, segundo o Artigo 306 do CTB, com detenção de 6 meses a 3 anos.

Posso recusar o teste do bafômetro?

O direito a recusar o teste do bafômetro é garantido pela Constituição. Porém, essa conduta pode gerar infrações.

O agente de trânsito pode verificar a presença de álcool no corpo do condutor por meio de sinais de alteração da capacidade psicomotora. Portanto, se o motorista se recusar a fazer o teste e, mesmo assim, apresentar indícios de embriaguez, ele tomará a mesma multa de quem for pego com mais de 0,04 mg/L de álcool no sangue.

Portanto, se beber, o indicado é aguardar, no mínimo, 12 horas para dirigir novamente.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post